11°C 29°C
Foz do Iguaçu, PR
Publicidade

Binacional investe mais de R$ 6,4 milhões no Lar dos Velhinhos de Foz do Iguaçu

Investimento é para que a entidade possa garantir aos idosos um atendimento com mais saúde e dignidade

27/02/2024 às 10h48
Por: JNT NEWS
Compartilhe:
Binacional investe mais de R$ 6,4 milhões no Lar dos Velhinhos de Foz do Iguaçu

O Lar dos Velhinhos de Foz do Iguaçu (PR), a única instituição beneficente do município para atendimento a pessoas da terceira idade, sem fins lucrativos, receberá um investimento de mais de R$ 6,4 milhões da Itaipu Binacional. Os recursos serão investidos na segunda edição do projeto “Longevidade com Dignidade: Cuidar, Proteger e Promover”. A parceria terá três anos de duração, com o dobro do investimento previsto no convênio anterior.

O objetivo da ação é melhorar as condições de acolhimento de longa permanência a idosos(as) com vínculos familiares fragilizados, em situação de pobreza, abandono e com necessidade especiais e/ou abrigamento.

Seguindo as diretrizes do Governo Federal, a política da atual gestão de Itaipu tem como foco investir em políticas públicas voltadas principalmente para as questões sociais e ambientais. “Nós estamos muito felizes em poder ajudar um projeto que acolhe e dá dignidade aos nossos idosos(as) que, por um motivo ou outro, estão abrigados(as) no Lar dos Velhinhos, precisando de uma atenção especial”, afirmou o diretor-geral brasileiro da Binacional, Enio Verri.

O presidente do Lar dos Velhinhos, Maicon Schneider, agradeceu a parceria. “Estamos felizes de estarmos juntos nesta jornada buscando o melhor atendimento possível aos nossos 72 idosos(as). Agradecemos a Itaipu e a comunidade pela confiança”. 
Para a gestora do convênio pela área de Responsabilidade Social da Itaipu, Camila Retcheski, é importante o envolvimento da comunidade com a instituição. “O Lar é um local que ainda há muito a se fazer estruturalmente, contudo, o que mais eles precisam é de atenção e carinho”, comenta. 

Mais pessoal e infraestrutura 
Por meio do convênio com a Itaipu, que está na segunda edição, a entidade poderá ter em seu quadro mais profissionais para fazer os atendimentos necessários, com a contratação de duas enfermeiras, uma nutricionista, um fisioterapeuta, dois auxiliares de depósito, três cozinheiras, um assistente financeiro, quatro auxiliares de limpeza, um encarregado de manutenção, um auxiliar de cozinha, cinco cuidadores e uma recepcionista. 

A parceria vai possibilitar ainda que a instituição faça a adequação de 90% dos espaços, atendendo as exigências das normas técnicas vigentes. As metas são reduzir o número de quedas e acidentes provenientes de problemas de acessibilidade, melhorar o acesso aos residentes com problemas de mobilidade; melhorar a condição de saúde dos acolhidos; e reduzir os deslocamentos para atendimento de pacientes com problemas respiratórios.

Os recursos também serão empregados na compra de suplementos para dietas especiais dos idosos e materiais necessários para a manutenção da instituição, como por exemplo a revisão e instalação do sistema de incêndio da entidade. Com sede própria, o Lar dos Velhinhos presta serviço de proteção especial de alta complexidade direcionado a pessoas em situação de vulnerabilidade social, fragilização e/ou rompimento de vínculos familiares, assegurando a essa população integridade física, moral, direito à vida, à saúde, à alimentação, cultura, lazer, cidadania, liberdade e convivência comunitária, de acordo com os preceitos apontados no Estatuto do Idoso.

O investimento vai custear o atendimento diário de enfermagem aos residentes, o serviço de fisioterapia de segunda a sexta-feira, o acompanhamento nutricional diário aos residentes, o funcionamento ampliado da recepção, da cozinha e lavanderia também todos os dias. 

Demanda
O número de pessoas atendidas pelo Lar dos Velhinhos passou de 60 para 72 idosos(as) nos últimos três anos. O Conselho Municipal do Idoso identificou a necessidade de aumentar esse fluxo para 80 pessoas. O foco de atendimento é o acolhimento para idosos(as) com 60 anos ou mais, independentes ou dependentes, com saúde debilitada, que não dispõem de condições para permanecer com a família. 

Entre os motivos, estão a violência ou negligência, situação de rua e de abandono, com vínculos familiares fragilizados ou rompidos identificados e acompanhados pelo Centro de Referência Especializada em Assistência Social (Creas).

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários